Voltar 

 

 
História

 
Cucos e Malandros  na Festa
 
Feira Aquiliniana da Lapa

 
Os Homens do bombo

 
A presença dos Cucos em várias festividades
 


 

Cucos Malandros

Associação recreativa e cultural

 
Contactos para espectáculos:
  254108122
 
967067848


 

A festa em Sernancelhe

As  festas no nosso concelho são os momentos fantásticos do quotidiano determinando-os mas desordenando-os também. O tempo de festa acompanha os ciclos naturais e marca-os, por exemplo o fim das colheitas e o início do crescimento dos dias que também tem a ver com a disponibilidade de tempo e disposição que as tarefas agrícolas permitem para este tempo de subversão porque na sua duração são permitidos comportamentos que estão interditos nos outros dias,

De facto, a alegria e a procura de formas divertidas para desempenhar as tarefas difíceis está sempre presentes no espírito do Sernancelhense e, para verificar isto, basta pensar nas formas encontradas para fazer vindimas, a ceifa e tantos outros trabalhos em que a dureza da tarefa é atenuada pelas modos de convívio e diversão de que se revestem.

Mas são as Festas Feiras e Romarias os verdadeiros espelhos da faceta alegre da nossa cultura que aí tem um espaço ideal para se exteriorizar.

São momentos de diversão que intervalam e marcam o ritmo dos trabalhos quotidianos e, apesar de não terem um aspecto produtivo, assumem um papel fundamental no funcionamento e coesão da comunidade como ponto de encontro com aqueles que vivem e trabalham fora. O seu número, praticamente em todas as aldeias ou então de modo generalizado em eventos concelhios como a Feira Aquiliniana da Lapa ou a Festa da Castanha, atesta a importância que mantêm nos tempos de hoje.

Nas grandes festas, os Cucos Malandros são figuras que se tornaram já indispensáveis para anunciar o evento, pela alegria que imprimem à festa e também pelo acompanhamento musical que sempre têm com o resto do grupo, com os acordeões e bombos.

 

 

             

  Voltar