Voltar 

 Recuperada antiga zona de lameiros, na
Aldeia de Santo Estêvão


 

 

 


A antiga represa na ribeira que passa na Aldeia de Santo Estêvão junto ao pontão da estrada, proveniente das serranias da Lapa foi transformada em Parque de Merendas

Maria Lopes Paulo, 70 anos, senta-se à sombra de uns choupos com o trabalho de renda sobre as coxas. A tarde solarenga desta Primavera de domingo, dia 11 de Junho, no novo parque de merendas da Aldeia de Santo Estêvão, um antigo lameiro que a Junta transformou em espaço de lazer, convida ao descanso e reflexão. Um dia de ócio para esquecer muitos anos de labuta a regar e a sachar ali mesmo ao lado, a umas centenas de metros da nascente que ainda corre abundantemente.

Há quarenta anos, quando Maria Campos Lopes caminhava durante mais de quinze minutos, desde a sua casa junto à escola até ao lameiro da ribeira, para regar as ervas para os animais, ainda não exista no local a represa em granito que foi edificada.

“Vínhamos com o sacho ao ombro e com a merenda na mão para regar o lameiro”, recorda uma conterrânea, Aida Lopes Rebelo, 68 anos, confidente de conversas trocadas, enquanto levavam as águas pelo lameiro adentro com a água até aos joelhos.

“Em dias quentes de sol descansávamos secávamo-nos sobre os amieiros da ribeira”, recorda com um sorriso Maria Lopes Paulo, afastando por instantes a renda que a absorve quase automaticamente.

A irmã Alice Rebelo Paulo, 68 anos, levava muitas vezes os filhos até à ribeira, a uma pequena nascente de mergulho de onde nascia a água. Os quatro filhos brincavam em charcos, às vezes despidos, à espera que a roupa secasse.
“Lavávamos e secávamos então a roupa dos miúdos e iam logo lavadinhos para casa”, relembra.

Só há cerca de 18 anos a velha agricultora rural passou a ter água canalizada em casa.
Hoje, a represa já está empedrada e emparelhada, formando um bonito e pequeno lago de água pura com peixes,  já não é utilizado para regar os lameiros.  Estes foram aterrados e contornados com pedras e respectivas drenagens há 5 anos. Foram plantados umas dezenas de choupos, e então nasceu um atraente parque de lazer e merendas, com mesas e um pequeno espaço para chapinhar na água.
Aos domingos, os jovens mais novos aproveitaram a água arrepresada para se banharem.

O espaço do novo parque de merendas é muito limpinho e convidativo para passar uma tarde de Domingo a descansar, ou então a saborear um gostoso farnel. Um atraente e novo espaço da aldeia, que seduz as famílias a procurar a sombra dos choupos nos dias quentes da Primavera e Verão que já se evidenciam.


 

 

 

 

  Voltar