Voltar 

O nosso património cultural

 

O nosso património cultural muito sui generis da nossa cultura tradicional a que todos nós, homens de Sernancelhe, estamos já atentos e consideramos como parte da nossa identidade colectiva.

As tradições dos cânticos, os sons, as festas, os rituais, os dialectos, que neste concelho são tão diversificados de aldeia para aldeia, a música, a dança, a gastronomia, a medicina empírica como a Srª Soledade na Vila da Ponte que corta o ar ou desembaça as crianças, os jogos populares, assim como os objectos, artefactos e os espaços culturais com eles associados, são uma herança cultural, transmitida de geração em geração, e é disto que se ocupa quando se fala do nosso património cultural.

Todos estes elementos são utilizados pelos homens para sobreviverem juntos enquanto cultura ou sociedade. No entanto, são elementos culturais vulneráveis. Muitos já desapareceram e outros correm o risco de se perderem no tempo. É necessário promover as mais diversas formas culturais, no sentido de as valorizar e preservar.

A tradição vocal, é memória da comunidade, com as lendas, os contos, dos dizeres, da poesia e da literatura popular.
As típicas cantigas e cantares de desafio improvisados, que ainda bem se conservam no presente e memória de muitos. Todavia é importante salvaguardar a transmissão, para que a sua continuidade esteja assegurada.

As festas e as romarias constituem outro traço deste vastíssimo património de valores, muito ligadas ao sagrado e ao profano. Muitas delas de origem já muito antiga, de ciclo anual, outras ligadas aos padroeiros, fruto da cultura cristã, e por vezes misturadas.

Surgindo já por todo o concelho, são extraordinariamente abundantes e diversificadas. É uma cultura secular, com uma identidade muito própria, interligada com outras manifestações deste património, como a dança, a música, a poesia popular, até com a própria culinária.

Os jogos populares, considerados muitas vezes como recreio e divertimento, são muito mais do que um simples passatempo. As suas origens perdem-se no tempo, muitas vezes ligam-se ao trabalho e à preocupação de transmitir aos mais novos conhecimentos e formas de vida, o que resulta no saber da colectividade. Aumentam a solidariedade de um grupo, criando sentimentos de propriedade.

Os aspectos citados são apenas exemplos das tradições, crenças, costumes e artes populares, que constituem todo o nosso património humano.
Compete a nós todos salvá-lo e preservá-lo, para que um dia a nossa identidade Sernancelhence ainda se mantenha firme nas raízes culturais da população.

 

 
   

  Voltar