Voltar 

O componente de evangelização das Festas

 


Todas as festas religiosas do concelho são um autêntico tesouro que de modo algum as podemos menosprezar.

Tem sido importante o trabalho dos párocos na orientação e preparação dos fiéis que integram as mordomias ou comissões de festas. Trabalho de evangelização e orientação para que as posturas da Igreja sejam bem salvaguardadas.

Importante é também a transmissão nas festas,  juntamente com o componente religioso, o espírito de criatividade e alegria, para que assim possam ser muito mais um espaço de convívio familiar, inter-famílias e inter-amigos, dando um diferente significado a esta dimensão de tempo livre e relaxação

No essencial, as festas têm também para a Igreja o componente de evangelização   que, apesar de haver algumas contradições nas romarias e suas vivências, tem havido uma visão positiva dos valores que as festas transmitem.

Posso afirmar que nos dias de hoje as festas são uma fonte de evangelização muito importante, sobretudo nas festas dos padroeiros onde existem muitos sinais e símbolos religiosos que, sendo celebrados com qualidade e dignidade, são entendidos com verdadeiro anúncio da dimensão transcendente da vida e, claro do nome de Deus e dos Santos.

Evidencia-se bem nas nossas festas um autêntico espaço de encontro da fé com a cultura, e foram estas que ao longo de séculos, promoveram a criação de expressões culturais de grande riqueza, que hoje constituem um dos nossos patrimónios culturais.

Nos tempos de hoje, em que muitos gostariam de confinar a vivência do cristianismo ao templo, a festa traduz-se na presença da Igreja nesta sociedade secular, aparecendo, muitas vezes, a procissão pelas ruas destas aldeias como única manifestação pública de fé. A procissão que passa, é a manifestação da comunidade plena de esperança e conservadora de uma cultura transcendente que desperta para as realidades invisíveis da fé e aviva a memória cristã.

 

  Voltar